Somos o que COMEMOS

A SIC - Sociedade Independente de Comunicação - TV de Portugal, fez um programa interativo sobre uma grande pesquisa que foi - e está - sendo feita naquele país por especialistas das áreas de pediatria e endocrinologia, sobre os assustadores números de obesidade infantil, bem como os problemas metabólicos advindos de uma alimentação desregrada a partir da infância.

A má alimentação mata mais do que o fumo, o álcool ou o consumo de drogas. Os produtos industrializados, repletos de açúcares e sal adicionados, invisíveis ao consumidor comum, tem reflexos alarmantes na saúde da população em especial na das crianças, que hoje apresentam alterações metabólicas e doenças dantes associadas apenas aos adultos.

A incidência de diabetes tipo 2 aumentou 80 % na última década em Portugal, 60% da população está com sobrepeso.

A reportagem tenta alertar para o fato de que está nas mãos de cada pessoa prevenir a doença e melhorar a sua própria saúde. De maneira bem didática, acompanhamos os casos de algumas crianças e suas dificuldades em se adaptarem a hábitos saudáveis de estilo de vida.

Suponho que isso valha para os brasileiros também...


Vale a pena saber mais!
Somos o que Comemos

Os alimentos perdem nutrientes ao serem aquecidos no MICROONDAS?

A BBC Brasil publicou recentemente um artigo que reproduzo abaixo sobre essa questão, que, embora possa permanecer em aberto, parece estar mais para mito que verdade...

* início de citação *

Basta uma busca rápida na internet para encontrar sites e blogs que garantem que o uso do microondas faz mal à saúde e resulta na perda de vitaminas e nutrientes dos alimentos.

Mas essa ideia de que o microondas é pior do que outras formas de cozinhar não tem base científica, explica o programa da BBC Trust Me, I’m a Doctor (em tradução livre, Confie em mim, sou médico).

O microondas cozinha os alimentos usando ondas de energia semelhantes às de rádio, porém mais curtas. Seletivas, essas ondas afetam sobretudo a água e outras moléculas assimétricas eletricamente: carregadas positivamente em um extremo e negativamente no outro.

As microondas fazem com que essas moléculas vibrem e gerem calor, que rapidamente se estende às moléculas próximas para esquentar e cozinhar a comida. Esse processo pode afetar as vitaminas e nutrientes dos alimentos, mas essas mudanças não são exclusivas do microondas, e sim resultado do processo de aquecimento.

Quando se esquenta a comida, algumas vitaminas - como a C - se decompõem, explica a Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, em seu site sobre medicina e saúde. Mas isso acontece independentemente de se o alimento é esquentado em forno convencional, no fogão ou no microondas. 

As proteínas também se “desnaturalizam” (ou seja, se decompõe e às vezes perdem suas propriedades) quando são esquentadas, por qualquer meio.

Mas como os tempos de preparo são mais curtos, cozinhar com microondas de fato ajuda a preservar a vitamina C e outros nutrientes.

Cozinhar com água

Os nutrientes dos alimentos também se perdem quando a comida é cozida com água. Diversos estudos científicos concluíram que ao ferver as verduras, boa parte de seus nutrientes se solta na água. A vitamina C e muitas das vitaminas B, como a B6 e a B12, são mais vulneráveis porque são solúveis em água. E normalmente essa água não é aproveitada, mas descartada – o que faz com que os nutrientes também se percam.

A perda de nutrientes durante a fervura é maior do que em outras técnicas, como o microondas, a fritura ou o vapor. Então a melhor forma de reter as vitaminas e os nutrientes dos alimentos ao cozinhá-los é usar tempos curtos, que limitem a exposição ao calor, e um método de cozinhar que use menos líquido.

Um artigo publicado em 2009 no Journal of Food Science concluiu, por exemplo, que o microondas mantém melhor os níveis de antioxidantes de alimentos como feijão, aspargos e cebola do que a fervura, o cozimento na panela de pressão ou o forno.

Mas se o que mais te preocupa é manter o valor nutritivo dos alimentos, o melhor é cozinhar no vapor.

Além disso, há outros passos que você pode fazer para conservar ao máximo o valor nutritivo dos alimentos.

Conselhos úteis para impedir a perda de nutrientes ao cozinhar
  • Descascar e cortar o alimento logo antes de preparar ou consumir
  • Lavar de forma rápida antes de cozinhar
  • Empregar formas de cozimento em que a água e o alimento entrem em contato o mínimo possível
  • Esperar que a água ferva completamente para submergir o alimento, já que isso reduzirá o tempo de cozimento necessário
  • Cozinhar hortaliças al dente e esfriá-las após cozinhar, para preservar suas vitaminas
  • Aproveitar a água das verduras cozidas para fazer outros alimentos, como sopas
  • Evitar armazenar frutas e hortaliças por muito tempo na geladeira
  • Acrescentar vinagre ou suco de limão, que contribuem para a conservação das vitaminas e absorção de alguns minerais, como o ferro
Fonte: Fundação Espanhola de Dentistas e Nutricionistas e Associação para a Promoção do Consumo de Frutas e Hortaliças “5 al dia”, da Espanha

* fim de citação *

Vale a pena saber mais!

Coma, JEJUE e viva mais tempo

Michael Mosley examina a ciência por trás do jejum, enquanto define para si mesmo o ambicioso objectivo de viver mais tempo com saúde, manter-se mais jovem e perder peso sem alterar seu estilo de vida.



Vale a pena saber mais!
The 5:2 fast diet
Fasting Mimicking Diet
Eat, Fast and live longer Congress 2013
IGF-1 & Intermittent Fasting: Discussion with Valter Longo 
The Fasting Program That May Prevent Age Related Diseases